“REABILITAÇÃO DO BOM JESUS FICA CONCLUÍDA EM JUNHO DE 2019”

Escrito por JOSÉ PAULO SILVA, CORREIO DO MINHO | 11 DE OUTUBRO DE 2018

“REABILITAÇÃO DO BOM JESUS FICA CONCLUÍDA EM JUNHO DE 2019 ”

“Projecto ‘Bom Jesus: Reabilitar II’ decorre em velocidade cruzeiro. Confraria do Bom Jesus do Monte garante conclusão da reabilitação do Santuário em meados do próximo ano.”


No final de Junho de 2019, as últimas empreitadas de requalificação do Bom Jesus do Monte estarão concluídas. O investimento, na ordem de 1,9 milhões de euros, é considerado “fundamental” para o sucesso da candidatura do santuário bracarense a Património Mundial, na categoria de Paisagem Cultural, que será apreciada, no próximo ano, pela assembleia geral da UNESCO.

Em Janeiro do próximo ano, fiéis e turistas descobrirão um templo com muita mais cor, resultado do trabalho minucioso de limpeza e retoque das pinturas, estátuas e outros elementos artísticos.

“A grande diferença vão ser as cores das paredes, neste momento com muita sujidade e que vão passar a ter cores mais vivas”, adiantou, ontem, Luís Aguiar Campos, coordenador da obra que está a ser executada com o “desafio” de manter a Basílica aberta ao culto e às visitas, embora de forma condicionada.

“O primeiro grande desafio que enfrentámos foi na sacristia. Tinha uma cor creme em todas as paredes. Abrimos janelas de prospecção e encontrámos um marmoreado em tudo igual ao que existe dentro da igreja, de qualidade excepcional. Estamos a levantar a camada de tinta e salvaguardar o máximo possível o original do marmoreado”, revelou aos jornalistas Luís Aguiar Campos, justificando que “a intenção é preservar o máximo possível de originalidade do recheio artístico”.

Para o sócio da empresa Signum, “esta será a primeira grande obra executada no templo do Bom Jesus”, inaugurado em 1811, garantindo que, até Junho de 2019, “não vai haver um único centímetro que não seja alvo da nossa atenção e do nosso carinho”.

Para além dos trabalhos de restauro, que permitirão estabilizar os processos de degradação do espólio artístico, o Templo passará a dispor de um sistema de monitorização em tempo real da temperatura e humidade relativa. “O Bom Jesus é a segunda igreja em Portugal onde este sistema foi implementado, o que nos permite ter informação, através de 12 sensores, que ajuda a controlar os processos de degradação”, referiu Luís Aguiar Campos. A empreitada contempla igualmente novos sistemas de iluminação, detecção de incêndios e videovigilância.